Você está aqui: Página Inicial Disciplinas Orientações

Orientações

File Projeto de pesquisa
Modelo de projeto disponibilizado pela professora Gabriela Raulino, que leciona a disciplina TCC no Curso de Produção Cultural.
Considerações em torno do ato de estudar
"Estudar é, realmente um trabalho difícil. Exige de quem o faz uma postura crítica sistemática. Exige disciplina intelectual que ano se ganha a não ser praticando-a". Texto no qual Paulo Freire reflete sobre o ato de estudar [LEITURA OBRIGATÓRIA].
File Introdução da Formação da literatura brasileira
Na introdução da clássica obra "Formação da literatura brasileira: momentos decisivos", Antonio Candido discorre sobre o método que adota para compreender a literatura brasileira. Assim, o crítico expõe cuidadosamente os famosos conceitos de sistema e continuidade literária, responsáveis por constituir uma relação entre os escritos que compõem uma literatura nacional [LEITURA OBRIGATÓRIA].
File Por que ler os clássicos?
Texto do pensador Italo Calvino sobre a necessidade de se ler as obras canônicas da literatura universal.
File Uma releitura de Ficção e confissão, de Antonio Candido, à luz da sociologia de Pierre Bourdieu
Artigo no qual se constrói diálogo entre as ideias de Candido e Bordieu a partir da obra de Graciliano Ramos.
O ex-mágico Murilo Rubião!
Texto que aborda aspectos da vida e obra do escritor mineiro Murilo Rubião, considerado um dos maiores representantes da narrativa fantástica na América Latina.
Diferentes formas de ler
Excelente texto! A professora Márcia Abreu discorre sobre como o ato de ler foi compreendido ao longo da história.
“Graciliano Ramos viu no socialismo o caminho para a humanidade”
Entrevista com Dênis de Moraes, autor do livro "O velho Graça: uma biografia de Graciliano Ramos" (1992).
Pesquisa revela que ler autores clássicos estimula o cérebro
Um estudo da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, divulgado nesta terça-feira (15), sugere que ler autores clássicos, como Shakespeare e T.S. Eliot, estimula a mente. Além disso, a pesquisa conclui que a poesia pode ser mais eficaz em tratamentos do que livros de autoajuda.
Diálogo sobre a identidade cultural do Nordeste
No caso das características estipuladas ao que se convencionou denominar região Nordeste do Brasil, apoiando-se nas idéias do historiador Durval Muniz de Albuquerque Júnior, percebe-se que elas servem para perpetuar certas imagens e estereótipos – mitos – criados em meados do ano de 1910. Até essa data não se falava em Nordeste brasileiro, o Brasil era dividido apenas em Norte e Sul, classificação que já trazia em si as imagens preestabelecidas de pobreza para o primeiro e riqueza para o segundo.
Impressões de viagem: Graciliano e suas anotações sobre a URSS
Resumo e artigo de trabalho apresentado no XIII Encontro da ABRALIC, ocorrido em outubro de 2012 na cidade de Campina Grande.
File Fichamento, resumo e resenha
Apontamentos a serem debatidos em reunião pedagógica.
A pior escritora da História
Em trecho do livro ‘Epic Fail’, inédito no Brasil, o crítico Mark O’Connell conta a história da irlandesa Amanda McKittrick Ros, romancista que se tornou célebre pelo fracasso de sua escrita.
À vontade entre o erudito e o popular
"Toda Poesia", de Paulo Leminski (1944-89), reafirma o legado revolucionário da obra do curitibano - uma mistura de lirismo e rigor que ainda hoje, mais de duas décadas depois de sua morte, desafia a crítica.
A literatura está em perigo?
Resenha sobre livro no qual Todorov discute a importância da literatura e sua relação com o mundo atual.
Referências visuais dos protestos extrapolam repertório típico da esquerda
O caldeirão cultural que alimenta os protestos mistura política e publicidade, heróis da Marvel, Maio de 68 e poesia concreta. E a surrada máscara de "V de Vingança".
V de Vingança: Máscara usada em protestos foi criada em quadrinhos dos anos 1980
"V de Vingança" é o nome do gibi que inspirou manifestantes no Brasil e em todo o mundo na última década. Os quadrinhos foram escritos por Alan Moore e desenhados por David Lloyd entre 1981 e 1988. Em 2006, os irmãos Wachowski (da série "Matrix") popularizaram ainda mais a história, ao lançar uma adaptação cinematográfica com Natalie Portman.
File Orientação para apresentação do trabalho acadêmico
Elaborado pela bibliotecária Iara Celly Gomes da Silva, o material disponibilizado explica como devemos apresentar formalmente o trabalho acadêmico de acordo com as normas ABNT.
File Crônicas de L. F. Verissimo
Seleção de crônicas de Luis Fernando Verissimo publicadas no jornal O Estado de São Paulo.
Considerações sobre a obra de Nikolai Leskov, o narrador
Nikolai Leskov (1831-1895), ao contrário de nomes como Dostoievski e Tolstoi, não é muito conhecido internacionalmente. No Brasil, então, as referências são pouquíssimas. Escreveu contos, novelas e romances. Descreveu a vida e a cultura do povo russo. Em vida, não obteve muito êxito, se envolveu em polêmicas, foi acusado erradamente de defender a violência policial. Após a morte, a partir dos anos 1900, iniciou-se dentre os escritores russos uma espécie de “resgate” de sua obra e Leskov passou a figurar o cânone da literatura russa. Apesar disso, como pontuado antes, o material disponível em português sobre o referido escritor é mínimo.
Um romance sem importância?
O romance Caetés (1933) é o livro de estreia do escritor Graciliano Ramos (1892-1953). Os críticos tendem a classificá-lo como uma espécie de ensaio para a obra maior do autor. Segundo Antonio Candido, o referido romance funciona como “um exercício de técnica literária mediante o qual [Graciliano Ramos] pôde aparelhar-se para os grandes livros posteriores”. Caetés é posto, em alguns casos sem nenhuma análise, em plano secundário nos estudos referentes à obra de Graciliano Ramos. Para se ter uma visão mais completa da narrativa e perceber suas qualidades, é pertinente o exercício de contextualizar o romance no momento de sua publicação, observar sua perspectiva estética e analisar como esta narrativa pode se relacionar com as outras obras do autor.
File A árvore de Natal na casa do Cristo
Em sintonia com o período natalino, recomendo a leitura do conto de Dostoiévski aqui disponibilizado. A narrativa suscita muitas reflexões sobre a realidade social.
File Os mortos como tecidos vivos da memória em Os mortos são estrangeiros
Dissertação sobre Newton Navarro apresentada ao Mestrado em Literatura e Interculturalidade, na Universidade Estadual da Paraíba, pela professora Stefânnia Silveira de Macedo.
File A preparação inicial para a escrita acadêmica
Material introdutório para discutir as especificidades da linguagem científica a partir do texto "Uma tese é uma tese" de Mário Prata.
File Elementos pré-textuais de um projeto de pesquisa
Para servir como exemplo, utilizo o modelo do projeto "Três momentos do Nordeste: práticas sociais e culturais do Nordeste na colônia, no império e na república".
File Elementos textuais e pós-textuais de um projeto de pesquisa
Para servir como exemplo, utilizo o corpo do texto do projeto "Três momentos do Nordeste: práticas sociais e culturais do Nordeste na colônia, no império e na república".
File Roteiro para aula sobre redação científica
A aula contempla os seguintes pontos: 1. Considerações sobre o projeto de pesquisa; 2. A preparação inicial para a escrita acadêmica.
File Apresentação sobre Zila Mamede
Para o evento "Zila Mamede: arando a cultura", promovido pelos alunos do primeiro período de Produção Cultural.
File Gregório de Matos e sua poesia satírica
Material sobre o poeta baiano utilizado no Curso Ação Social e Literatura.
Vida e obra de Falves Silva
Vídeo sobre o poeta visual, produzido pelos estudantes Carolina Cavalcante, Lenart Veríssimo, Marina Gabriely e Rodolfo Holanda durante a disciplina Semiótica da cultura.
File Por que ler o romance nordestino?
Diálogo sobre o regionalismo de 30 e os autores Graciliano Ramos, Jorge Amado e José Bezerra Gomes.
File O poema-processo como linguagem revolucionária
Apresentação utilizada na primeira aula do minicurso "Cultura e sociedade nos anos 60 e 70", promovido pelo Projeto Ação Social & Literatura.
File Música brasileira e ditadura militar
Material para segunda aula do minicurso "Cultura e sociedade nos anos 60 e 70", promovido pelo Projeto Ação Social & Literatura.
File Apresentação sobre os diferentes tipos de mídia e de texto
Para o Seminário de orientação à prática profissional do Curso de Produção Cultural.
O romance “Por que não se casa, Doutor?” sob o olhar da nova geração
Artigo da estudante Kamila Lima sobre o segundo romance do escritor potiguar José Bezerra Gomes.
File Material sobre a técnica do release
Para o Seminário de orientação à prática profissional do Curso de Produção Cultural.
File José Bezerra Gomes: representante do RN no regionalismo de 30
Artigo apresentado no Enecult 2015.
File Fragmentos do discurso cultural: por uma análise crítica do discurso sobre a cultura no Brasil
Roteiro de leitura para o artigo do professor Durval Muniz de Albuquerque Júnior.
File A representação identitária do Nordeste nas crônicas de Graciliano Ramos
Artigo publicado nos anais do Enecult 2014.
File A representação identitária do Nordeste nas crônicas de Graciliano Ramos
Slides.
File MPB e Ditadura Militar: o caso Sérgio Sampaio
Dossiê sobre Graciliano Ramos
Publicado no periódico Floema, caderno de teoria e história literária, da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB).
Olho por olho
Livro digital organizado por Falves Silva com versões de estudantes do IFRN Cidade Alta para o poema "Olho", de Anchieta Fernandes.
A temática noturna no rock pós-tropicalista
Para contextualizar obra de Sérgio Sampaio.
File Rumos das políticas culturais atuais
Slides.
Fim do Minc, ódio à cultura
Artigo do colunista Marcus Faustini no jornal O Globo sobre os boatos referentes à extinção do Ministério da Cultura.
História do cinema
Excelente reportagem sobre a história do cinema publicada no jornal O Estado de São Paulo em referência aos 120 anos da sétima arte.
File Impressões de viagem: considerações sobre a obra periférica de Graciliano Ramos
[Tese de doutorado] Neste trabalho, estuda-se a obra periférica de Graciliano Ramos. O objetivo é detectar a importância desta na constituição da obra de Graciliano como um todo. No primeiro capítulo, a narrativa Viagem (1954) é analisada sob a perspectiva formal e conteudística: aborda-se o gênero narrativa de viagem e são estabelecidas comparações entre escritos de autores que dialogam com o referido texto de Graciliano Ramos. No segundo capítulo, examina-se a produção de Graciliano que, geralmente, não é observada pela crítica literária tradicional: crônicas, contos e narrativas infanto-juvenis. Constatou-se que, dentre outros aspectos, Viagem e os demais escritos periféricos do autor estão atrelados às suas narrativas canônicas, inserindo-se, de maneira coerente, ao desenvolvimento (da ficção à confissão, conforme assinalado por Antonio Candido) ocorrido na obra de Graciliano Ramos.
Uma vez vanguarda, sempre vanguarda: palavras livres sobre o poema-processo
Pode até parecer contraditória a afirmação de que o poema-processo ainda se constitui nos dias atuais, 50 anos após o seu surgimento, como uma tendência de vanguarda, pois estamos habituados a pensar que a vanguarda promove a ruptura na linguagem artística, causa impacto e se esvai como uma névoa. No entanto, o poema-processo, pelo seu caráter extremamente revolucionário, mantém-se em pleno século XXI como um atentado à ordem e aos bons costumes na literatura.
O jogo metaficcional de Silviano Santiago na narrativa “Em liberdade”
A obra “Em liberdade”, de Silviano Santiago, publicada em 1981, traz como narrador-personagem um importante escritor da literatura brasileira, Graciliano Ramos. Apenas esse aspecto já seria suficiente para despertar a atenção do leitor, porém há algo mais que torna o texto um tanto interessante: o momento histórico no qual se desenvolve a ação narrativa.
File A poesia de Mário de Andrade
File Algumas observações sobre a poesia de Mário de Andrade
File Apresentação sobre Cabra das Rocas
Os animais têm razão
Poema de Antonio Francisco recitado por Bráulio Bessa.
File Poemas da literatura do RN
Jorge Fernandes + Renato Caldas + Anchieta Fernandes
Literatura Potiguar no IFRN Rocas
Documentário produzido por estudantes do Curso Técnico Integrado em Multimídia.
File O gênero narrativa de viagem na literatura ocidental
Artigo apresentado no Enecult 2017.
File A representação identitária do nordeste nas crônicas de Graciliano Ramos
Artigo apresentado no Enecult 2014.
File O problema do método nas ciências humanas: o caso da geografia
A pesquisa científica na área de ciências humanas e a elaboração de artigo científico
File O método científico nas ciências humanas
Apresentação em slides.
File A poesia de Mário de Andrade
Material adaptado para diálogo com a turma que está cursando a disciplina Antropofagia e produção cultural.
File Livro de poemas de Sérgio Sampaio
Pós-tropicalismo: a flor apunhalada nos "anos de chumbo"
Tropicália de Hélio Oiticica
A Tropicália era um labirinto construído com uma arquitetura improvisada, semelhante às favelas, um cenário tropical com plantas características e araras. O público caminhava descalço, pisando em areia, brita, água, experimentando sensações, no fim do percurso se defronta com um aparelho de TV ligado, um símbolo moderno. A nova imagem do Brasil, os meios de comunicação de massa contrastando com a miséria nacional. Polarizações e impasses da sociedade, da cultura, da estética e da política da arte nos anos de 1960. Radicalidade e experimentação que impulsionou as artes plásticas para o exercício da contemporaneidade.
Manguebeat: conceito
O Manguebeat foi um movimento musical, e cultural por extensão, surgido no início da década de 1990, na cidade do Recife, sendo resultado de uma série de eventos que começaram ainda no final da década de 1970 e início da década de 1980, com o relaxamento da censura no Brasil por parte do Governo Militar. Relaxamento este que possibilitou a entrada de produtos culturais oriundos da Europa e dos Estados Unidos, como a literatura beatnik e as bandas do pós-punk, o que permitiu, segundo Galinsky, um tímido renascimento da cultura pop no Brasil.
Chico Science, um caranguejo elétrico
Documentário, filme de 86 minutos exibido pela TV Globo Nordeste e GloboNews em 2016.
File "Caranguejo com cerébro" e "Quanto vale uma vida"
Os dois manifestos do movimento manguebeat, o primeiro publicado em 1992 e o segundo em 1997.
OK OK OK
Clipe da nova canção de Gilberto Gil. Podemos notar diálogo com a Tropicália e forte crítica ao cenário político dicotômico da atualidade.
Cinema Novo
Canção interpretada por Caetano Veloso e Gilberto Gil.
Navegação
« Agosto 2019 »
Agosto
DoSeTeQuQuSeSa
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031